Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Fórum Ateus do Brasil
 Emerson Zamprogno
 Lista Sci-Fi Brasília
 Chagdud Gonpa Padma Ling
 Spiral Dynamic
 Ontario Consultants on Religious Tolerance
 Textos selecionados
 Dantas.com
 Confissões de uma Pena
 pensa-ventos


 
Luis Dantas


Perceberam o tamanho da bobagem e do estrago

Finalmente tentaram consertar o crime do juiz, descrito nas notícias do item anterior deste blog:

 

TJDFT derruba decisão que absolveu homem que tentou levar droga para Papuda

Traficante tentou transportar 46 gramas de maconha dentro do estômago para um amigo que estava preso


Escrito por Luis Dantas às 07h22
[] [envie esta mensagem] [] [Print it in Moleskine MSK format]



Tinha de ser um juiz de Brasília...

Por essas e outras que não entendo por que Direito é considerado curso superior...

 

Juiz alega que maconha não é droga proibida e absolve traficante

 

Juiz absolve réu por considerar maconha ‘recreativa’

 



Escrito por Luis Dantas às 09h38
[] [envie esta mensagem] [] [Print it in Moleskine MSK format]



O mais recente filme de Woody Allen, "Blue Jasmine"

Woody Allen tem um enorme talento humorístico, mas há muito tempo que seus filmes são cada vez mais sérios e profundos.  A safra mais recente tem sido notável em sua qualidade.  "Meia-Noite em Paris" era uma maravilha de sobriedade com um final otimista.  Este último, "Blue Jasmine", é um verdadeiro apelo ao bom-senso, com um toque verdadeiramente poético de advertência quanto às ilusões do deslumbramento.  A personagem-título é algo depressivamente verossímil - uma pessoa que tomou alguns atalhos, evitou algumas tomadas de consciência dolorosas, e com isso se pôs exatamente na posição em que criou muito estrago nas vidas das pessoas próximas, inclusive ela própria.  Jasmine é acima de tudo uma vítima, e paga um preço alto por sua própria mediocridade e falta de coragem moral.  Acostumada a viver nas alturas ilusórias do alto "status" social, descobre-se repentinamente como a pessoa miserável que sempre foi, incapaz de sequer compreender plenamente as profundezas de seu despreparo para lidar com a vida real.  Torna-se desonesta e nela reincide, não por malícia, mas por pura e drástica fragilidade.

Simultaneamente, o filme mostra também pessoas mais comuns e realistas, lidando com situações menos glamourosas mas pelo menos tentando se sustentar com as próprias pernas.  É um contraste doloroso e compassivo, uma advertência contra os perigos de se deixar fascinar por aquilo que não é realmente nosso nem pode de fato vir a ser.  E nas entrelinhas há uma mensagem muito discreta mas poderosa de apreço pela quieta aceitação e compreensão de que todos nós precisamos, mesmo que isso nos custe sonhos de grandeza que muitas vezes são mais um veneno do que qualquer outra coisa.



Escrito por Luis Dantas às 21h22
[] [envie esta mensagem] [] [Print it in Moleskine MSK format]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]